Ultrassonografia morfológica

A ultrassonografia morfológica, também conhecida como USG morfológico, é um exame de imagem que permite visualizar o bebê dentro do útero, facilitando a identificação de algumas doenças ou malformações como Síndrome de Down ou cardiopatias congênitas.

Geralmente, a ultrassonografia é indicada pelo obstetra no segundo trimestre, entre a 18ª e 24ª semana de gestação e, por isso, além de malformações no feto, também já pode ser possível identificar o sexo do bebê. Este é o primeiro momento em que os pais conseguem ver com detalhe o bebê que está se desenvolvendo. 

Entretanto, esta ultrassonografia também pode ser feita no primeiro trimestre, entre a 11ª e a 14ª semana de gestação, mas como o bebê ainda não está bem desenvolvido, os resultados podem não ser tão satisfatórios.

A ultrassonografia morfológica também pode ser feita entre as 33 e as 34 semanas de gestação, mas isso geralmente só acontece quando a gestante não fez o USG anteriormente, quando existe suspeita de malformação no bebê ou quando a grávida desenvolveu uma infecção que possa prejudicar o desenvolvimento do bebê.


Ou seja, de uma maneira geral, com o ultrassom morfológico é possível identificar a fase de desenvolvimento do bebê, assim como avaliar possíveis alterações nas fases de desenvolvimento. Dessa forma, o obstetra consegue confirmar a idade gestacional do bebê; avaliar o tamanho do bebê, medindo a cabeça, tórax, abdômen e do fêmur; avaliar o crescimento e o desenvolvimento do bebê; monitorar os batimentos cardíacos do bebê; localizar a placenta; observar o sexo do bebê; e mostrar anormalidades no bebê e possíveis doenças ou malformações.

Quando realizado no 2º trimestre, o ultrassom morfológico pode ajudar a identificar vários problemas no desenvolvimento do bebê como espinha bífida, anencefalia, hidrocefalia, hérnia diafragmática, alterações nos rins, síndrome de Down ou doenças cardíacas.

Blog e Artigos